Resultado de imagem para peixada maranhense pescada amarela

Peixada Maranhense

INGREDIENTES

  • 1 quilo de pescada-amarela
  • 1 xícara de café de suco de limão
  • 4 tomates picados em rodelas
  • 2 cebolas picadas em rodelas
  • 1 xícara de chá de coentro picado
  • 1 xícara de chá de cebolinha picada
  • 3 pimentas-de-cheiro picadas
  • 1 xícara de chá de leite de coco
  • ½ xícara de chá de azeite
  • 4 ovos cozidos
  • 2 batatas cozidas
  • Sal a gosto

MODO DE PREPARO

  1. Tempere o peixe com sal e limão e reserve;
  2. Em uma panela pré-aquecida, coloque a metade do azeite, as rodelas de cebola e as de tomate, formando camadas;
  3. Coloque na panela o peixe e despeje o caldo da marinada, o leite de coco e o restante do azeite. Cubra com água, ferva por cinco minutos e acerte o sal;
  4. Junte as batatas e os ovos cozidos cortados em rodelas, a cebolinha e o coentro. Sirva em seguida.

Dicas

  • Você pode fazer a receita com outro peixe de sua preferência
  • Arroz branco e salada verde são bons acompanhamentos para o prato

HISTÓRIA

De carne branca e macia, pescada-amarela é peixe favorito do Maranhão

“No Maranhão nenhuma mesa que ofereça um bom almoço serve outro peixe que não a pescada-amarela.” É o que diz a chef Ana Lula, cozinheira e proprietária da Casa de Juja, em São Luís, capital do Estado, tamanha a importância do peixe natural do litoral nordestino.

De cor amarelada na região da barriga, a pescada geralmente habita as águas do encontro do rio com o mar, conta um pescador da região. Sua carne, branca e bem macia, tem alto valor comercial. É a favorita dos maranhenses, diz.

No Mercado do Peixe, na capital, Ana Lula diz que o animal é o mais disputado das bancas. “É o peixe mais nobre do Estado. E tem um sabor delicioso.”

A pescada-amarela –e não a branca– é o ingrediente base da peixada, um dos pratos mais tradicionais do Maranhão. Sem dendê, a receita leva ainda batatas, ovos cozidos e leite de coco.

A cozinheira prepara sua peixada na Casa de Juja, que considera uma “base”, não um restaurante. Ela explica a distinção: as bases são consideradas uma instituição maranhense, e seu nome vem da rotina dos trabalhadores de se “basearem” na casa de alguém na hora do almoço.

Uma base é, pois, a casa de um cozinheiro que abre suas portas tanto para amigos quanto para clientes e oferece receitas de família, exclusivas, que ninguém consegue copiar. “As comidas são simples, mas de um sabor que, se você vai a primeira vez, vai ficar cliente pra sempre”, diz Ana Lula.

“No Maranhão nenhuma mesa que ofereça um bom almoço serve outro peixe que não a pescada-amarela.”

Fonte: Fartura Brasil 

Você pode ajudar a Enciclopédia Nordeste a expandir este texto nos enviando fotos, ilustrações e informações para contato@onordeste.com

Deixe seu comentário!