Memórias de um sacanólogo, Liêdo Maranhão

Livro de memórias do dentista e pesquisador da cultura popular Liêdo Maranhão, Editora Coqueiro, 2011, 163 páginas.

“Histórias Pitorescas” narradas no “Bar Savoy”, centro do Recife, Pernambuco. Dias inesquecíveis, um rosário de sábados. Foram passeios pelos bairros de São José, Santo Antonio, Recife, Pina, etc. Calorosos Encontros e Surpreendentes Paixões. O Recife da Época da Guerra, Cosmopolita, Hollywoodiano, do tempo em que a doença venérea era status. A Cidade ficou pequena e Liêdo Maranhão atravessou o Atlântico com Zé da Luz e Baudelaire (Mundo Velho), Registrando Aventuras e Memórias Fantásticas. De volta ao Brasil, fez pesquisas, escreveu, fez Cinema “O Folheto” e Esculturas. Uma Obra de Amor e Recordações que é a cara do Recife.

Há quem interprete as pesquisas de Liêdo Maranhão, sobre cultura popular, como uma obsessão no caminho do pornográfico. No entanto, Liêdo é um homem muito puro. O sexo para ele é manifestação de alegria da infância brasileira. Em lugar de proibido em conversas de boa educação, ele deveria ser divulgado para menores de todas as idades, de todas as escolas do Brasil.

O registro que ele faz da fala do povo, a fala crua, sem literatice, mas que guarda história, o flagrante que ele dá no povo quando fala de sexo, que dá nomes rejeitados pela formação hipócrita como chulos, com uma verdade que nos faz rir, lembram o popular como uma criança crescida.

Você pode ajudar a Enciclopédia Nordeste a expandir este texto nos enviando fotos, ilustrações e informações para contato@onordeste.com

Deixe seu comentário!