O NORDESTE / Enciclopédia Nordeste / Tatu-peba

Pesquisar em ordem alfabética

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S TU V W Y X Z
  • T

Tatu-peba

  • Tamanho da letra

    Diminuir o tamanho da letraAumentar o tamanho da letra
  • Imprimir

    Imprimir
  • Enviar por e-mail

    Enviar por e-mail
Voltar
Tatu-peba
Fatos e Fotos da Caatinga
Filhote de tatu-peba em busca de frutos do imbuzeiro para consumo. A fotografia foi obtida no dia 16 de fevereiro de 2012 na área de caatinga da Estação Experimental da Caatinga na Embrapa Semiárido em Petrolina, Pernambuco

O tatu-peba (Euphractus sexcinctus) é um animal da caatinga que tem como característica, o consumo de raízes, pequenos insetos, larvas e frutos da caatinga. Este animal escava o solo embaixo das plantas que produze rizomas e xilopódios e os consome.

No período da safra do imbuzeiro, o tatu-peba consome uma quantidade razoável de frutos que caem das plantas. Este animal também é grande consumidor de larvas e insetos que habitam o solo da caatinga.

Embora este animal possua hábito noturno, sendo visto raramente durante o dia, na época da safra do imbuzeiro a maneira mais fácil de ver um tatu-peba é esperá-lo embaixo de uma planta de imbuzeiro.

Fonte: Fatos e Fotos da Caatinga

Alimentação: Plantas, insetos e animais, inclusive carcaças.

Reprodução: De 60 a 65 dias de gestação. Os filhotes atingem a maturidade aos 9 meses.

O tatu-peba mede de 40 a 95 cm, e pode pesar entre 3,2 a 6,5 kg. Seu nome popular e generalista, Tatu, vem do tupi. E, claro, se refere à sua carapaça óssea e protetora (ta = duro; tu= espesso). Dizem que nem um veículo, ao atropelá-lo, consegue perfurar a sua armadura.

Mas o bichinho sofre mesmo por ser muito caçado por sua carne. Poucos sabem, mas os tatus têm atribuições importantes junto à natureza. Este mamífero tem função ecológica de peso, pois é capaz de se alimentar de insetos, contribuindo para o equilíbrio de populações de formigas e cupins.

Vale dizer que no Brasil existem oito gêneros e 21 espécies conhecidas de tatus. Todas são originárias das Américas e pertencentes à mesma família, a Dasypodidae. No caso do tatu peba (também conhecido como tatu-peludo), tem coloração amarronzada e a sua carapaça é provida de pêlos esparsos.

É um animal notívago, solitário e onívoro. Sua toca é cavada com uma profundidade de aproximadamente 2 metros, geralmente nos campos mais áridos. Às vezes eles causam grandes prejuízos à lavoura, pois se alimentam de brotos de milho e outras plantas. O tatu-peba vive por cerca de 18 anos.

Fonte: Terra da Gente

TATU-PEBA

Palavras-chave: Nordeste