O NORDESTE / Enciclopédia Nordeste / Raimundo Santa Helena

Pesquisar em ordem alfabética

A B C D E F G H I J K L M N O P Q RS T U V W Y X Z
  • R

Raimundo Santa Helena

  • Tamanho da letra

    Diminuir o tamanho da letraAumentar o tamanho da letra
  • Imprimir

    Imprimir
  • Enviar por e-mail

    Enviar por e-mail
Voltar

Raimundo Luiz do Nascimento nasceu em Santa Helena, município fundado por seu pai, que morreu em 1927 combatendo o bando de Lampião. Saiu de casa aos 11 anos, disposto a vingar a morte do pai. Em Fortaleza, no Ceará, trabalhou como trocador de ônibus, garçom, baleiro e engraxate. Em 1943 ingressou na escola de Aprendizes Marinheiros do Ceará. Participou da Segunda Guerra mundial, sendo por duas vezes condecorado pelo presidente da República.

Em 1945 publicou seu primeiro cordel, "Fim da guerra". Fundou a Cordelbras. Em 1983 recebeu juntamente com Gilberto Freyre, Augusto Ruschi e Jorge Amado o Prêmio Porto de São Mateus de Resistência cultural. Tem cerca de 2 milhões de exemplares de mais de 300 títulos em circulação. Foi criador da Feira de São Cristovão, no Rio de Janeiro. Escreveu ainda os livros "Lampião e o sangue de meu pai" e "Um marujo na esquina do mundo".

Fonte: ablc 

Raimundo Santa Helena (Raimundo Luiz do Nascimento) nasceu em 6/4/1926 Santa Helena, PB.

Cordelista. Nasceu no município paraíbano de Santa Helena, fundado por seu pai, que morreu em 1927 combatendo o bando de Lampião. Saiu de casa aos 11 anos de idade disposto a vingar a morte do pai. Em Fortaleza no Ceará, trabalhou como trocador de ônibus, garçom, baleiro e engraxate. Em 1943 ingressou na escola de Aprendizes Marinheiros do Ceará. Participou da Segunda Guerra mundial a bordo do navio CT Bracuí, sendo por duas vezes condecorado pelo presidente da República.

Em 1945 publicou seu primeiro cordel, "Fim da guerra". Fundou a Cordelbras. Em 1983 recebeu juntamente com Gilberto Freyre, Augusto Ruschi e Jorge Amado o Prêmio Porto de São Mateus de Resistência cultural. Tem capas de seus folhetos ilustrando livros na França e no Japão. Tem cerca de 2 milhões de exemplares de cerca de 300 cordeis em circulação, inclusive um em 10 línguas diferentes. Foi criador da Feira de São Cristovão onde se apresenta constantemente ao lado de cordelistas e repentistas. Proferiu mais de 300 conferências sobre cordel. Em 1992 lançou durante a ECO 92 um cordel em defesa do meio ambiente. Em 1993 lançou os livros "Lampião e o sangue de meu pai" e "Um marujo na esquina do mundo". Foi citado mais de 1500 vezes em jornais, revistas e rádios do Brasil e do esterior. Em 1995 teve participação especial no LP "Sinfonia da natureza", dos repentistas Miguel Bezerra e Natan Soares, no qual aparecem suas composições "Sinfonia da natureza" e "Good bye Santa Helana". Teve ainda musicados e gravados por Miguel Bezerra os cordéis "João Papa pede passagem em sua última viagem" e "De repente as raízes da cultura". Em 1999 prestou depoimento ao MIS, Museu da Imagem e do Som. Em 2002 partcipou de congresso na UFRJ sobre o centenário de nascimento do poeta Carlos Drumond de Andrade.

Fonte: dicionariompb 

 Siga www.onordeste.com no twitter


    
 
 
 

Palavras-chave: