O NORDESTE / Enciclopédia Nordeste / Praça do Ferreira, Fortaleza, Ceará

Pesquisar em ordem alfabética

A B C D E F G H I J K L M N O PQ R S T U V W Y X Z
  • P

Praça do Ferreira, Fortaleza, Ceará

  • Tamanho da letra

    Diminuir o tamanho da letraAumentar o tamanho da letra
  • Imprimir

    Imprimir
  • Enviar por e-mail

    Enviar por e-mail
Voltar
Praça do Ferreira, Fortaleza, Ceará, anos 1920 e 1930
Praça do Ferreira

A Praça do Ferreira é uma praça da cidade de Fortaleza

Seu nome é referência ao Boticário Ferreira que em 1871, enquanto presidente da câmara municipal, fez uma reforma na área e urbanizou o espaço.

Desde 2001, após pesquisa popular, a praça do Ferreira foi oficialmente declarada Marco Histórico e Patrimonial de Fortaleza pela lei municipal 8605 de 20 de dezembro de 2001.

Na praça do Ferreira, aglutinaram-se grandes empreendimentos e grandes eventos da sociedade e da cultura fortalezense durante o final do século XIX até a metade do século XX quando a cidade passou por uma expansão urbana e pela criação de outros pólos de desenvolvimento.

Em 30 de janeiro de 1942 o Sol foi vaiado por um grupo de pessoas na praça depois de 2 dias de tempo nublado e chuvas. O ano de 1942 foi de estiagem no Ceará

A Praça do Ferreira, situada entre as ruas Floriano Peixoto e Major Facundo e as travessas Pará e Pedro Borges. Ela já foi chamada Praça das Trincheiras, e em 1839 era apenas um campo de areia com um grande poço no centro, que funcionou até 1920, quando o então prefeito Godofredo Maciel fez a reforma.

Em 1933, foi erguida a Coluna da Hora, derrubada em 1967.

Depois de várias reformas, a cacimba acabou soterrada e só foi descoberta em 1991, quando da última reforma pela qual a Praça passou.

Descoberto o poço, ele foi mantido e novamente erguida a Coluna da Hora. Bastante diferente da primeira - que possuía estilo "Art Dèco" de cimento e pó de pedra" - mas também significativa.

O cine São Luiz tem capacidade para 1.500 pessoas integra o conjunto da praça. A construção foi iniciada em 1939. Em 1958 a edificação foi concluída e inaugurada. O projeto é de Humberto da Justa Menescal.

Luiz Severiano Ribeiro  idealizador  do Cinema São Luiz esteve presente à solenidade  de inauguração.

O edifício possui um hall, cujas escadarias têm piso e revestimento em mármore de Carrara, além de três grandes lustres de cristal importados da antiga Tchecoslováquia. Foi tombado pela lei estadual nº 9.109, de 30 de julho de 1968, através do decreto nº 21.309, de 13 de março de 1991. Em 1995 o São Luiz passa a ser o espaço de apresentação do Cine Ceará.

O cinema sofreu com a concorrência das modernas salas de projeção dos shoppings centers e com a desvalorização do centro da cidade.Desde Outubro de 2005, o Centro Cultural é palco de Festival de Jazz e Blues e de shows, além das típicas exibições de filmes.

História

Antigamente, por volta de 1839,o que hoje é a belissima praça do ferreira era apenas um espaço cheio de areia com um poço localizado em sua parte central. existia um predio com o nome de predio do ensino mutuo, onde hoje é a caixa economica federal. E extinto pelo boticario Ferreira, havia o beco do cotovelo, que era povoado por casas em diagonal.

No ano de 1842 o boticario Antonio Rodrigues Ferreira foi eleito presidente da Câmara Municipal e aumentou as ruas da cidade, dando um traçado muito defeituoso. Criou a praça, em 1871 foi chamada de Praça do Ferreira, em referencia ao boticario, e antes teve o nome de feira-nova, pedro II e praça da municipalidade. Em destaque, antes disso, existia os sobrados de comendador Machado e o do Pacheco, construídos respectivamente em 1825 e o outro em 1831.

O intendente Guilherme Rocha, construiu um jardim que no centro ficava a avenida que foi chamada "Jardim 7 de setembro", em 7 de setembro de 1902 e era cercada por grades de ferro e colunas de concreto e localizava a frente do que hoje é o Cine São Luiz.

Na construção foram colocados 5 quiosques, todos construidos de forma artistica e onde funcionava a companhia da luz e 4 cafés. Postos tambem ilustres frades de pedra fabricado com pedra de Lioz e importados diretamente de Portugal, possuindo até argolas para amarrar animais.

No meio do jardim foram colocados uma caixa dàgua e um catavento que usavam a água para os jardins serem aguados.

A Padraria Espiritual, movimento literario, aconteceu em um dos cafés no ano de 1892.

Godofredo Maciel, na epoca prefeito de Fortaleza, mosaicou a praça inteira, fechou o poço central e mandou retirar os quiosques, construiu um palanque ao ar livre e a banda da policia executava, todas as quintas feiras, suas sinfonias e tambem construiu jardins em uma reforma no ano de 1920 e em 1923 substituiu o palanque, por outro coberto.

A Coluna da Hora foi reerguida e o palanque foi derrubado no ano de 1933, por Raimundo girão, "art dèco" de pó de pedra e cimento era o novo estilo da coluna da hora e a praça foi palco de comemorações pelo fim da segunda guerra mundial, assim a praça foi batizada e considerada "coração da cidade" em 1945.

Acrisio da Rocha, prefeito da cidade, inaugurou em 15 de novembro de 1949, o abrigo central, que de inicio era um terminal de ônibus e fez parte da historia da cidade.

Poucas pessoas lembram, mas ao norte da praça, de frente para o Hotel Savanah, onde havia o prédio da intendência municipal funcionava, ininterruptamente um prédio comercial na decada de 1950.

Murilo Borges derrubou a Coluna da Hora e o abrigo sem nenhuma consulta popular e sob afirmativa de que o abrigo central estava deteriorado e iria cair em pouco tempo e foram encontradas duas urnas na parte subterranea uma datada do ano de 1936 e nela foram encontrados jornais de epoca, moedas e cartas no ano de 1968, a reforma foi terminada em 1969 e a praça ficou muito mudada em relação ao que era antes.

O prefeito Juraci Magalhães reformou a praça pela última vez e em 1991 foi recuperado o poço e foi mantido e a Coluna da Hora erguida novamente, idêntica a primeira graças a um projeto dos arquitetos Fausto Nilo e Delberg Ponce de Leon.

Em 2001, a Praça do Ferreira foi escolhida como ícone da cidade. A escolha foi fruto de uma promoção da campanha "Eleja Fortaleza - Declare seu amor pela cidade", criada pelo Banco Itaú em parceira com o Sistema Verdes Mares. Pela campanha, a população votou em urnas espalhadas pela cidade e nas agências Itaú.

Fontes: Wikipédia, Blog da Viagem Oficial e Guia da Semana.

Palavras-chave: