O NORDESTE / Enciclopédia Nordeste / Ivanildo Vila Nova

Pesquisar em ordem alfabética

A B C D E F G H IJ K L M N O P Q R S T U V W Y X Z
  • I

Ivanildo Vila Nova

  • Tamanho da letra

    Diminuir o tamanho da letraAumentar o tamanho da letra
  • Imprimir

    Imprimir
  • Enviar por e-mail

    Enviar por e-mail
Voltar
Ivanildo Vila Nova, violeiro
Ivanildo Vila Nova

Nascido em Caruaru (PE), em 13 de outubro de 1945, Ivanildo Vila Nova cresceu acompanhando seu pai, o famoso cantador José Faustino Vila Nova, pelas noitadas de cantorias. Se a vida do repentista naquela época era extremamente espinhosa, para um menino, então, o sacrifício era extremo.

Ao abraçar a Arte do Improviso, Ivanildo não queria apenas ser mais um no cenário da poesia. Era imperioso que o quadro existente fosse modificado para a sobrevivência da Cantoria. Antes de Ivanildo Vila Nova, a Cantoria era amadora, onde o compromisso era apenas com o divertimento, o lúdico, a boemia. Com ele, aconteceu a profissionalização, a elevação do cantador à categoria de artista.

Os mais céticos apostavam que a cantoria, ao sair do sertão para ganhar espaço nos grandes centros, estaria fadada à extinção. Porém, com a ascensão de Ivanildo e dos cantadores de sua geração (Geraldo Amâncio, Moacir Laurentino, Sebastião Dias, Severino Ferreira e Sebastião da Silva, entre outros) abriu fronteiras. O trabalho dessa geração saiu do sertão para a cidade, saiu do Nordeste para outras regiões, chegando até a outros países.

Quando sua luz começou a ofuscar as estrelas da constelação da poesia, batalhas homéricas foram travadas, gerando cantorias antológicas. Ivanildo Vila Nova, 60 anos de idade e 40 de repente, permanece se dedicando exclusivamente à Arte do Improviso, edificando tijolo por tijolo as paredes desse templo da poesia, conhecido simplesmente por Cantoria de Viola.

Coleção com 10 DVDs

Além do DVD com Ivanildo Vila Nova, o Centro Cultural Banco do Nordeste produziu outros nove, documentando entrevistas e debates realizados em seus programas especiais - Nomes do Nordeste , Literato e Papo XXI .

Do Nomes do Nordeste , foram gravadas mais três entrevistas com os cantores e compositores Tom Zé, Alceu Valença e Geraldo Azevedo. O Literato , que registra palestras com autores nordestinos, além de debates sobre temas ligados à literatura regional, traz os seguintes DVDs: Ariano Suassuna e Antônio Nóbrega conversando sobre os Romanceiros Ibérico e Brasileiro; um diálogo entre os escritores cearenses Adriano Espínola e Horácio Dídimo; e o pesquisador musical André Diniz, falando sobre o seu livro "Almanaque do Choro", no qual aborda 150 anos de História desse gênero musical brasileiro.

Por sua vez, os DVDs do Papo XXI debatem tendências da cultura nesse Século, discutindo e aprofundando conhecimentos sobre temas emergentes da atualidade, com forte repercussão no Nordeste. Já foram editados três DVDs, com os seguintes temas: "O modernismo no teatro brasileiro", com o ator e diretor teatral Ricardo Guilherme; "Editando a cultura", com Marco Pólo, jornalista e editor da revista Continente Multicultural, de Recife; e "Arte, educação e violência", com Glória Diógenes, professora-doutora em Sociologia.

Esses dez primeiros DVDs já estão disponíveis e podem ser assistidos gratuitamente pelo público, nas salas de vídeo da biblioteca do Centro Cultural BNB, em Fortaleza. Essa série de DVDs poderá também ser exibida em TVs educativas e não-comerciais e em instituições educacionais e culturais. Com essa série, o Centro Cultural Banco do Nordeste amplia ainda mais o acesso aos bens culturais, formando platéias e registrando os principais acontecimentos de sua programação.

Fonte: entrecantos

Siga www.onordeste.com pelo Twitter

Palavras-chave: Nordeste, Pernambuco